Bem-vindo, visitante ( Entrar | Registrar )

  Rating ---

536 Páginas V  1 2 3 > » 
entry Ontem, 09:39 PM
Daimler acelera migração para veículos elétricos, diz revista

* por Ilona Wissenbach | Reuters

LONDRES (Reuters) – A Daimler vai acelerar o lançamento de carros elétricos que estavam programados para meados desta década, enquanto encerra gradualmente a produção de versões movidas por motores a combustão, publicou a Manager Magazin nesta quinta-feira.

Muitos dos veículos elétricos que a montadora alemã planejava para 2024 e 2025 serão antecipados em um ano e seus equivalentes com motores a combustível fóssil serão descontinuados, publicou a revista, citando fontes próximas do assunto.

Segundo a revista, o presidente-executivo da Daimler, Ola Källenius, vai anunciar as mudanças em meados deste ano em evento a investidores.

Representante da Daimler não comentou o assunto.

entry Jun 16 2021, 09:00 PM
Atenção das empresas para inteligência artificial na segurança deve triplicar em dois anos, diz pesquisa

* por Gabriel Cabral | Folhapress | São Paulo
com Mariana Grazini e Andressa Motter

A relevância de ferramentas como a inteligência artificial na segurança digital das empresas deve quase triplicar nos próximos dois anos, segundo pesquisa da Mastercard. Hoje, 19% dos responsáveis pela área de tecnologia das companhias dizem que o recurso é importante, mas quando questionados sobre o uso no futuro, o número sobe para 53%.

A pesquisa, que ouviu 351 pessoas, também mostrou que a criptografia e o cloud computing (computação na nuvem, em português) são as tecnologias de maior relevância para as empresas em 2021, apontadas por 62% e 51% dos entrevistados, respectivamente. Os índices devem chegar a quase 80% daqui a dois anos, segundo a Mastercard. ​

* Mais de 50% dos entrevistados acham que a inteligência artificial terá relevância nas empresas em dois anos

entry Jun 15 2021, 09:21 PM
UE exclui JPMorgan, Citi e outros 8 bancos de plano de recuperação de R$ 4,9 tri

* por Tommy Stubbington | Financial Times

A União Europeia excluiu dez dos bancos mais ativos no mercado de títulos de dívida da organização de lucrativas vendas de títulos, como parte de seu fundo de recuperação de 800 bilhões de euros (R$ 4,9 trilhões), por violações históricas das regras antitruste.

A maior onda de captação já organizada pelo bloco começa na terça-feira (22) com a venda de um novo título de dez anos para bancar o programa NextGenerationEU, por um “sindicato”, um grupo de bancos criado para estimular a demanda da parte dos investidores.

Mas dez bancos, entre os quais instituições de primeira linha como o JPMorgan, Citigroup, Bank of America e Barclays, foram informados de que não poderão participar dessas transações devido a envolvimento anterior em escândalos de manipulação de mercado, de acordo com pessoas informadas sobre o assunto.

Bancos que tenham violado as normas de competição da União Europeia “não serão convidados a participar de transações sindicadas individuais”, disse um porta-voz da Comissão Europeia, que lida com emissões de títulos em nome da União Europeia.

“A Comissão adota uma abordagem rigorosa para garantir que as entidades com que trabalha sejam contrapartes dignas da União Europeia”.Os bancos considerados culpados de violações antitruste terão de demonstrar que tomaram “medidas corretivas” a fim de impedir que essas violações se repitam, antes que sejam autorizados a submeter lances para transações sindicadas, o porta-voz acrescentou.

Bank of America, Natixis, Nomura, NatWest e UniCredit foram impedidos de participar devido a uma decisão antitruste da Comissão no mês passado, de que eles participaram de um cartel no mercado de títulos durante a crise da dívida da zona do euro, uma década atrás.

Citigroup, JPMorgan e Barclays —além do NatWest— também foram barrados devido à constatação, dois anos atrás, de que participaram de manipulações do mercado de câmbio entre 2007 e 2013, disseram pessoas informadas sobre o assunto.

Deutsche Bank e Crédit Agricole foram excluídos, igualmente, devido a uma decisão de abril de que estiveram envolvidos em um cartel diferente no mercado de títulos, disseram as fontes. Todos os bancos se recusaram a comentar.

A lista inclui sete dos 10 maiores bancos envolvidos na negociação de títulos de dívida pública nacionais e supranacionais até agora este ano, pelo critério de volume, de acordo com números da Dealogic.

Os 10 bancos excluídos das chamadas “transações sindicadas” são parte da lista de 39 chamados “dealers primários” –bancos que têm a responsabilidade de fazer lances pelos títulos oferecidos durante os leilões regulares de títulos de dívida, que a União Europeia iniciará em setembro.

Essa responsabilidade pode ocasionalmente ser dispendiosa, no entanto, e por isso os bancos de investimento tipicamente consideram os honorários que recebem por transações sindicadas como estímulo para que assumem a posição de “dealer” primário.“

Há um equilíbrio delicado no relacionamento entre os emissores e os ‘dealers’ primários, e essa decisão acarreta o risco de alterar o equilíbrio”, disse um executivo importante de uma das instituições excluídas das transações sindicadas.

“As questões que foram mencionadas aconteceram muito tempo atrás e foram resolvidas”.Os bancos que operarão na emissão inicial de títulos do fundo de recuperação são o BNP Paribas, DZ Bank, HSBC, Intesa Sanpaolo, Morgan Stanley, Danske Bank e Santander.

Investidores apresentaram lances em valor de mais de 140 bilhões de euros (R$ 862,9 bilhões) para a aquisição de 20 bilhões de euros (R$ 123 bilhões) em títulos de dívida, de acordo com um dos bancos.

O fundo de recuperação, sobre a qual os países membros da União Europeia chegaram a acordo no ano passado, deve transformar Bruxelas em um dos maiores devedores da região.

entry Jun 14 2021, 08:47 PM
GPA considera separação da colombiana Éxito, dizem fontes

* por Tatiana Bautzer | Reuters

SÃO PAULO (Reuters) - O GPA está considerando se separar de sua unidade colombiana Almacenes Éxito, numa operação que entregaria ações da subsidiária aos acionistas do GPA, incluindo o francês Casino Guichard Perrachon, segundo duas fontes com conhecimento do assunto.

Seria uma transação similar ao recente "spin off" da unidade de atacarejo do GPA, Assaí, e faria parte de uma estratégia do grupo francês Casino de simplificar sua estrutura na América Latina e aumentar o valor atribuído às suas empresas na região.

O GPA tem mais de 97% do Éxito, que é listado na Colômbia, com um valor de mercado de cerca de 1,5 bilhão de dólares. A empresa tem 515 supermercados na Colômbia e emprega 35 mil pessoas, além de controlar subsidiárias no Uruguai e Argentina.

O GPA, listado na B3, tem um valor de mercado de 2,13 bilhões de dólares, sugerindo que os investidores não estão atribuindo o valor correto à unidade colombiana.

O recente spinoff do Assaí do GPA, em março, resultou num aumento imediato de 10% do valor de mercado combinada. O Assaí hoje vale mais que o dobro do que o GPA.

A alternativa ideal para os acionistas, segundo as fontes, seria listar o Éxito na B3, mas os regulamentos da bolsa proíbem a listagem direta de empresas estrangeiras. Agora o GPA e o Casino estão considerando qual seria a melhor alternativa, deixar o Éxito listado na Colômbia e entregar Brazilian Depositary Receipts (BDR) aos acionistas da B3, ou eventualmente acrescentar uma listagem nos Estados Unidos, onde são permitidas empresas estrangeiras, e daí emitir o BDR.

Em resposta ao pedido de comentário sobre o assunto, o grupo enviou um comunicado. "O GPA reitera que não há discussão em relação a esse tema. E reafirma seu interesse de investimento de longo prazo na Colômbia."

Uma das fontes disse que o GPA e o Casino estão tratando o assunto com extremo cuidado para não alienar acionistas minoritários, buscando uma alternativa que deixe os investidores em papéis do Éxito na Colômbia e do GPA no Brasil confortáveis.

entry Jun 13 2021, 08:40 PM
Terras raras no centro da batalha do Ocidente para conter a China

* por AFP

Nova York, 13 Jun 2021 (AFP) - O que aconteceria se a China bloqueasse amanhã aos Estados Unidos e à Europa o acesso a minerais essenciais para a fabricação de veículos elétricos, turbinas eólicas e drones, que são produzidos principalmente em seu solo?

Numa altura em que são frequentes os atritos econômicos e geopolíticos entre estas três potências, Washington e Bruxelas querem evitar este cenário reinvestindo no mercado das terras raras, aqueles 17 minerais com propriedades únicas que hoje são largamente extraídos e refinados na China.

Alguns, como o neodímio, o praseodímio e o disprósio, são cruciais na fabricação de ímãs usados nas indústrias do futuro, como energia eólica e carros elétricos.

Outros têm usos mais tradicionais, como o cério para o polimento de vidro e lantânio para catalisadores automotivos ou lentes ópticas.

Smartphones, telas de computador ou lentes telescópicas também usam terras raras.

Em 2019, os Estados Unidos fizeram 80% de suas importações de terras raras da China, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos. E a União Europeia abastece-se em 98% no país asiático, segundo relatório da Comissão Europeia de setembro de 2020.

Isso é o suficiente para preocupar Washington e Bruxelas, em plena transição energética.

Exponencial
"O crescimento exponencial da demanda que é esperado por minerais relacionados às tecnologias verdes os força a examinar suas vulnerabilidades e agir", comentou à AFP Jane Nakano, pesquisadora do Centro Internacional de Estudos Estratégicos (CSIS), com sede em Washington.

Após a publicação em fevereiro de uma ordem executiva do presidente americano Joe Biden com o objetivo de controlar as cadeias de abastecimento de bens considerados "essenciais", o Senado adotou na terça-feira um texto que prioriza a extração dos chamados "minerais críticos".

Washington quer "aumentar a produção e o refino", disse a vice-diretora do Conselho Econômico Nacional, Sameera Fazili, citando terras raras e lítio.

A principal esperança americana está na mina de Mountain Pass, na Califórnia. Depois de ser um dos maiores atores globais do setor, sofreu com a ascensão da China, que subsidiou fortemente sua indústria, e com as regulamentações ambientais sobre a mineração.

A companhia MP Materials, que reativou a mina em 2017, agora quer simbolizar o novo impulso americano no setor, apostando na concentração de terras raras "entre as mais altas do mundo" em seu solo, com 7% ante entre 0,1% e 4% em outros lugares, segundo ela.

Quanto ao refino, pretende iniciar o seu processo de "separação" dos elementos - a rocha é constituída por um conjunto de terras raras que devem ser separadas por um processo químico - e depois fabricar os seus próprios ímanes em 2025 - a etapa da fase de separação para um produto que pode ser usado diretamente na indústria - duas etapas que estão sendo realizadas atualmente pela China.

Outros projetos estão surgindo, como os do grupo australiano Lynas, que conquistou diversos contratos nos Estados Unidos, incluindo uma planta de refino no Texas para a indústria militar, com apoio do Pentágono.

Reciclagem
Na União Europeia, um plano para estabelecer prioridades para o Velho Continente será apresentado "nos próximos dias" à Comissão, disse Bernd Schäfer, director do EIT RawMaterials, um consórcio que visa apoiar projetos neste sector, numa conferência no início de junho.

"A Europa não tem muita escolha em termos de mineração, então terá que recorrer à importação de matérias-primas ou semirrefinadas e se tornar uma base de refino ou reciclagem", explica David Merriman, especialista em baterias e veículos elétricos da consultoria Roskill.

A China deve se beneficiar de sua posição dominante por muito tempo, mas as ambições existem: "20-30% das necessidades de ímã em 2030 podem vir do continente, contra praticamente zero hoje", graças à reciclagem, se os projetos identificados forem realizados, observou Schäfer.

Por coincidência ou não, o desejo de acelerar essas questões surge em um momento em que o planeta vive uma escassez de semicondutores, componentes essenciais para qualquer produto que inclua elementos eletrônicos, de computadores a automóveis, fabricados principalmente na Ásia.

"Esta crise levou a um repensar das cadeias de produção e vulnerabilidades" entre os fabricantes, explicou à AFP um porta-voz da MP Materials.

Vários grupos europeus especializados em energia eólica e automotiva já estão em contato com a empresa, disse.

"Em cinco anos, os ímãs permanentes ocuparão um lugar semelhante aos semicondutores. Eles estarão no dia a dia de todos", acrescentou.

entry Jun 12 2021, 08:59 PM
UE deixará de financiar gasodutos e oleodutos a partir de 2029

* por AFP

Bruxelas, 12 Jun 2021 (AFP) - Os 27 países da União Europeia concordaram nesta sexta-feira (11) em excluir o petróleo e o gás do financiamento de futuras infraestruturas de transporte energético, embora tenham autorizado que os dutos existentes transportem uma mistura de hidrogênio e gás até 2029.

Os ministros da Energia europeus, reunidos em Luxemburgo, decidiram "interromper qualquer apoio a novos projetos relacionados a gás natural e petróleo e introduzir critérios de sustentabilidade obrigatórios para todos os projetos" de infraestrutura energética, indica o comunicado.

No entanto, "durante um período de transição, até 31 de dezembro de 2029, poderão ser utilizadas as infraestruturas de gás existentes que foram adaptadas para transportar ou armazenar uma mistura predefinida de hidrogênio com gás natural ou biometano", afirma o texto do acordo.

No entanto, esses projetos devem "demonstrar que no final do período de transição, eles deixarão de transportar gás natural e serão inteiramente dedicados ao hidrogênio."

Essa posição precisa ainda ser negociada com o Parlamento Europeu.

Por outro lado, os países da UE decidiram autorizar uma exceção para as obras que estão em andamento para ligar Chipre e Malta à rede europeia de energia, a fim de quebrar seu isolamento.

Este compromisso energético "está totalmente em linha" com a neutralidade de carbono na UE até 2050, garantiu João Pedro Matos Fernandes, ministro português da Ecologia, em coletiva de imprensa.

"Manter o fluxo de gás fóssil aberto por meio de grandes investimentos para transportar o hidrogênio através de dutos corre o risco de desviar a Europa de seu caminho para a neutralidade climática", criticou Neil Makaroff, da Rede de Ação Climática.

entry Jun 11 2021, 09:52 PM
Bayer anuncia nova tecnologia de soja transgênica no Brasil

* por Nayara Figueiredo | Reuters

SÃO PAULO (Reuters) – A multinacional Bayer anunciou nesta sexta-feira sua nova tecnologia Intacta 2 Xtend para semente de soja transgênica, disponível comercialmente para a safra 2021/22, que será plantada a partir de setembro, informou a empresa em nota.

Trata-se da terceira geração de biotecnologia em soja da Bayer e o primeiro lançamento da companhia no país desde a aquisição da Monsanto, em 2018.

“A Bayer já possui todas as aprovações internacionais necessárias em países que possuem volume significativo do produto e sistema regulatório funcional, como a China e a União Europeia”, disse a empresa em nota à Reuters sobre o acesso do produto entre os importadores de soja do Brasil.

A expectativa, na avaliação da companhia, é que haja ampla adoção no mercado para a próxima safra, uma vez que o “produtor brasileiro é adepto a inovações e adota rapidamente novas tecnologias”.

“Em parceria com as principais empresas de sementes, mais de 30 variedades de soja serão posicionadas para as principais regiões sojicultoras do Brasil e estarão disponíveis para todos os produtores licenciados, sendo três delas desenvolvidas exclusivamente para áreas de refúgio.”

A nova tecnologia foi testada nos últimos dois anos e, segundo a empresa, entregou 3,25 sacas por hectare a mais em relação aos principais checks (variedades similares existentes no mercado) na safra 2020/21.

Ainda segundo o comunicado, a transgenia proporciona uma proteção mais abrangente contra as principais lagartas que afetam as lavouras da oleaginosa, expandindo seu escopo de defesa contra duas espécies relevantes– a Helicoverpa armigera e a Spodoptera cosmioides– dentre outros benefícios, como tolerância aos herbicidas dicamba e glifosato.

entry Jun 10 2021, 08:36 PM
Coinbase Pro lista três criptomoedas desconhecidas e uma delas dispara

* por Wagner Riggs | Portal do Bitcoin

A Coinbase Pro, plataforma para traders da corretora americana Coinbase, listou na terça-feira (08) três novas criptomoedas: Gitcoin (GTC), Enzyme (MLN) e Amp (AMP). Segundo a nota, as altcoins, que são baseadas na rede Ethereum, estarão disponíveis para negociação a partir desta quinta-feira (10).

A exchange informou, porém, que há duas exceções decorrentes da nova listagem. A Gitcoin não estará disponível para o estado de Nova York, assim como em Cingapura, que onde Enzyme e Amp não estarão acessíveis. No entanto, disse a Coinbase, as negociações só ocorrerão se as condições de liquidez dos novos tokens forem atendidas.

Segundo o anúncio, os ativos listados farão pares com o dólar (USD) e os livros de ordens serão lançados em três fases distintas: somente ‘pós’; somente ‘limite’ e por fim a negociação total, acrescentando:

“Se, em qualquer ponto, um dos novos livros de ordens não atender à nossa avaliação de um mercado saudável e ordenado, podemos manter o livro em um estado por um período de tempo mais longo ou suspender a negociação de acordo com nossas Regras de Negociação”.

Após a listagem, a efeito maior se deu sobre a AMP, que disparou e valorizou quase 8% nas últimas 24 horas.

Altcoins na Coinbase
A gitcoin, assim como a enzyme e amp, é um token ERC-20 criado na rede Ethereum. Segundo análise da Coinbase, o GTC permite a governança da comunidade da plataforma Gitcoin, que foi projetada para coordenar o desenvolvimento de novos projetos de financiamento coletivo.

O protocolo enzyme, que já teve outro nome (Melon), tem como foco facilitar o gerenciamento on-chain de ativos de finanças descentralizadas (DeFi). A MLN permite que os usuários criem, compartilhem e explorem estratégias de investimento DeFi, e paguem por várias funções em todo o processo de criação de cofres.

A amp, segundo a Coinbase, é usada para pagamentos através da empresa Flexa Network. “Se um pagamento em bitcoin (BTC) ou ethereum (ETH) falhar devido a tempos de transação longos ou não confirmados, a amp pode cobrir essa perda enquanto o fornecedor recebe o pagamento, garantindo, assim, a proteção dos fundos para ambas as partes.

entry Jun 9 2021, 09:23 PM
UPS prevê receita de cerca de US$100 bi em 2023

* por Sanjana Shivdas | Bengaluru

(Reuters) - A United Parcel Service espera atingir 100 bilhões de dólares em receita total em 2023, disse a maior empresa de entrega de encomendas do mundo nesta quarta-feira, ao definir suas metas financeiras de três anos.

A empresa prevê receita para o ano de 98 bilhões a 102 bilhões de dólares em 2023, ante estimativa média dos analistas de 100,2 bilhões, de acordo com dados da Refinitiv. A empresa teve receita anual de 84,6 bilhões de dólares em 2020.

A UPS também disse que espera ser neutra em carbono nas emissões de escopo 1, 2 e 3 em suas operações globais até 2050.

entry Jun 8 2021, 08:43 PM
Amazon vai investir 2,5 bi de euros em novas centrais de dados na Espanha

* por Inti Landauro | Reuters

MADRI (Reuters) – A Amazon planeja investir 2,5 bilhões de euros em novos centros de processamento de dados na Espanha que serão inaugurados em meados de 2022, afirmou a empresa. O investimento será aplicado ao longo de um período de 10 anos.

A unidade de serviços de dados da gigante norte-americana, Amazon Web Services, tem presença na Espanha desde 2012 e está construindo mais infraestrutura no país para conseguir armazenar dados na região de clientes que exigirem isso, disse a empresa.

536 Páginas V  1 2 3 > »   
DSTQQSS
4
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30