Versão para Impressão

Clique aqui para ver no formato original

With or Without Money

Ue Aprova Regras De Direitos Autorais Mais Duras

UE aprova regras de direitos autorais mais duras

* por Forbes
com Reuters

O Google terá que pagar a editores por trechos de notícias e o Facebook terá que filtrar conteúdo protegido sob novas regras de direitos autorais destinadas a garantir uma compensação justa de US$ 1 trilhão para as indústrias criativas da União Europeia.

Os governos da UE apoiaram, hoje (12), a iniciativa lançada pela Comissão Europeia há dois anos para proteger as indústrias criativas da Europa, que empregam 11,7 milhões de pessoas do bloco.

“Quando se trata de completar o mercado único digital da Europa, a reforma dos direitos autorais é a peça que faltava no quebra-cabeça”, disse o presidente da Comissão, Jean-Claude Juncker, em um comunicado.

Sob as novas regras, o Google e outras plataformas online terão que assinar contratos de licenciamento com músicos, artistas, autores, editores de notícias e jornalistas para usar seu trabalho.

O Parlamento Europeu deu um sinal verde no mês passado para uma proposta que colocou a indústria criativa da Europa contra empresas de tecnologia, ativistas da internet e grupos de consumidores.

A Wikipedia apagou vários sites europeus em protesto no mês passado, enquanto a mudança foi contestada pela Finlândia, Itália, Luxemburgo, Holanda, Polônia e Suécia.

Mas 19 países, incluindo França e Alemanha, endossaram a revisão, enquanto a Bélgica, a Estônia e a Eslovênia se abstiveram.

Sob o novo regime de propriedade, o YouTube, do Google, o Instagram, o Facebook, e outras plataformas de compartilhamento terão que instalar filtros para impedir que os usuários façam ‘upload’ de materiais protegidos por direitos autorais.

O Google disse que as novas regras prejudicariam as economias criativa e digital da Europa, enquanto os críticos disseram que isso afetaria as empresas menores que não possuíam caixa e não os gigantes da tecnologia.

A Polônia disse que a revisão foi um passo para trás, já que a exigência do filtro pode lançar as bases para a censura.

Julia Reda, parlamentar da UE que havia feito campanha contra as reformas, disse que os críticos podem levar o caso à Justiça, mas isso seria lento e difícil, e que o melhor seria monitorar a implementação justa.

A European Magazine Media Association, a Associação Europeia de Editores de Jornais, o Conselho Europeu de Editoras, a News Media Europe e o grupo de lobby de gravadoras independentes Impala saudaram a decisão.

Os países da UE têm dois anos para transpor a diretiva de direitos autorais para as leis nacionais.

Powered by Invision Community Blog
© Invision Power Services

IPS Driver Error  

There appears to be an error with the database.
You can try to refresh the page by clicking here.

Error Returned

We apologise for any inconvenience