Bem-vindo, visitante ( Entrar | Registrar )

  Rating ---

453 Páginas V  1 2 3 > » 
entry Hoje, 09:11 PM
Grécia corre risco de não receber dinheiro da zona do euro se não concluir reformas, dizem autoridades

* por Jan Strupczewski | Reuters

BRUXELAS (Reuters) - A Grécia está sob risco de não receber cerca de 750 milhões de euros no próximo mês, conquistados sob um acordo de alívio da dívida com a zona do euro no ano passado, por não ter completado reformas que tinham sido acordadas, afirmaram autoridades da zona do euro nesta segunda-feira.

O dinheiro é parte de aproximadamente 4,8 bilhões de euros de lucro de títulos gregos sob controle de bancos centrais da zona do euro, a serem devolvidos a Atenas até meados de 2022 em tranches semi-anuais. O alívio à Grécia também contemplou uma isenção da elevação da taxa de juros sobre parte dos empréstimos da zona do euro.

Juntas, as duas medidas somam até 750 milhões de euros a cada seis meses. A verba foi pensada como incentivo para Atenas continuar com as reformas duramente conquistadas, adotadas sob os três resgates ao qual se submeteu desde 2010, valendo mais de 280 bilhões de euros no total.

A Comissão Europeia divulgará um relatório em 27 de fevereiro detalhando o progresso grego na implementação das reformas acordadas. A conclusão desse relatório será crucial para ministros das Finanças da zona do euro decidirem se permitirão o desembolso.

"O relatório provavelmente dirá que a Grécia não completou as reformas acordadas", disse uma autoridade da zona do euro.

"Ministros das Finanças da zona do euro, que se reúnem para discutir a questão em 11 de março, não permitirão o desembolso a menos que Atenas conclua as ações entre 27 de fevereiro e 11 de março", afirmou a autoridade.

Há 16 reformas em diferentes etapas de conclusão, mas as cruciais, segundo autoridades, estão ligadas à liberação dos pagamentos em atraso do governo, à implementação do sistema primário de saúde e contratação centralizada de saúde e à estrutura legal para resolução de empréstimos em atraso, em especial a lei de insolvência das famílias.

Se ministros da zona do euro retiverem o dinheiro em março, ele ainda pode ser desembolsado em algum momento posterior, assim que todas as reformas forem concluídas conforme acordado, disseram autoridades.

entry Ontem, 09:13 PM
Airbus faz alerta sobre Brexit sem acordo e diz que gastou milhões com preparativos

* por Paul Sandle | Reuters

LONDRES (Reuters) - A Airbus disse neste domingo que terá que tomar "difíceis decisões" sobre investimentos futuros caso os britânicos deixem a União Europeia sem um acordo, acrescentando que a empresa já gastou dezenas de milhões de euros em preparativos.

"Não há como sair "sem acordo" e de forma negociada, isso é absolutamente catastrófico para nós", afirmou a vice-presidente sênior Katherine Bennett à BBC.

"Algumas difíceis decisões terão de ser tomadas se não houver um acordo...nós teremos que avaliar nossos investimentos futuros."

Ela disse que a Airbus já gastou "dezenas de milhões de euros" se preparando para o chamado "Brexit", como com estocagem de peças e segurança de sistemas de TI.

entry Feb 16 2019, 09:10 PM
Montadoras se preparam para sobretaxas de até 25% sobre importados nos EUA

* por Reuters | Washington

Um relatório confidencial do Departamento de Comércio, que deve ser enviado a Donald Trump no domingo, deve abrir caminho para que o presidente dos Estados Unidos ameace com tarifas alfandegárias sobre autopeças importadas ao designar as importações como uma ameaça à segurança nacional, afirmaram autoridades da indústria automobilística na sexta-feira.

As recomendações do relatório podem aproximar a indústria automobilística global de seu pior pesadelo - tarifas de até 25% sobre milhões de carros e peças importados que muitos temem custariam milhares de dólares ao valor de veículos e talvez causar centenas de milhares de empregos nos EUA.

O conteúdo do relatório deverá permanecer não público enquanto Trump considera as recomendações, deixando a indústria e os principais exportadores de automóveis do Japão, da União Europeia e da Coréia do Sul no escuro sobre suas conseqüências.

Autoridades da indústria automobilística disseram esperar que o relatório recomende ao menos algumas tarifas para que o governo possa usar as conclusões da investigação como alavanca de negociação durante tratativas neste ano com o Japão e a UE.

O relatório vem após investigação iniciada pelo Departamento de Comércio em maio de 2018 a pedido de Trump. O objetivo é determinar os efeitos das importações na segurança nacional.

A versão final será enviada à Casa Branca no domingo para cumprir prazo estatutário, disse membro do governo à Reuters.

As montadoras e fornecedores de peças estão antecipando que suas opções de recomendação incluirão tarifas de até 25% em carros e peças, ou tarifas mais restritas direcionadas a componentes e tecnologias ligados a carros novos, veículos autônomos, conectados à Internet e compartilhados.

Um funcionário da indústria automotiva disse, sob anonimato, que ninguém com quem conversou na indústria acha que o relatório não recomendará tarifas", tendo em vista as prioridades comerciais definidas pelo governo Trump.

Um relatório do respeitado Centro para Pesquisa Automotiva em, publicado na sexta-feira, mostrou que no pior cenário, uma tarifa de 25% custaria 367 mil empregos nos EUA nas indústrias automobilísticas e afins.

Os preços dos veículos leves nos Estados Unidos aumentariam em US$ 2.750 , em média, incluindo veículos construídos nos EUA - reduzindo as vendas anuais dos EUA em 1,3 milhão de unidades e forçando muitos consumidores ao mercado de carros usados, disse o relatório.

entry Feb 15 2019, 09:00 PM
EUA querem restringir pedidos de 'tratamento especial' na OMC

* por FolhaOnline

Os Estados Unidos enviaram nesta sexta-feira (15) uma proposta de reforma da OMC (Organização Mundial de Comércio) que reduz o número de países que podem pedir "tratamento especial e diferenciado", uma ideia que provavelmente enfrentará oposições de países como China e Índia.

Os EUA reclamam há anos de que membros da OMC como China e Índia podem se autoproclamar como "países em desenvolvimento", o que os permite acesso a uma série de benefícios e tratamento diferenciado na organização.

Na proposta de reforma, os EUA afirmam que atuais e futuras negociações comerciais não deveriam considerar tratamento especial a países classificados como "alta renda" pelo Banco Mundial, membros ou candidatos a membros da OCDE, nações do G20 e qualquer Estado que seja responsável por pelo menos 0,5% do comércio mundial.

entry Feb 14 2019, 08:11 PM
Google e Amazon são alvos de regras digitais da UE contra práticas desleais

* por Reuters | Bruxelas

O Google, a Amazon e outras empresas de tecnologia terão que dizer às empresas como classificam produtos próprios ou rivais em suas plataformas sob novas regras da União Europeia para impedir práticas injustas de plataformas online e lojas de aplicativos.

Proposta pela Comissão Europeia em abril do ano passado, a lei de plataforma para negócios (P2B) atinge o Google Play, o App Store da Apple, a Microsoft Store, a Amazon Marketplace, o eBay e a Fnac Marketplace.

O Google foi atingido com uma multa antitruste da UE de € 2,42 bilhões em 2017 por favorecer seu próprio serviço de comparação de preços, enquanto reguladores examinam se a Amazon usa dados de lojistas ilegalmente para fazer produtos copiados.

As regras incluem uma lista negra de práticas comerciais desleais, exigem que as empresas criem um sistema interno para lidar com reclamações e permitam que as empresas se agrupem para processar plataformas.

"Nossa meta é proibir algumas das práticas mais injustas e criar uma referência para a transparência e, ao mesmo tempo, garantir as grandes vantagens das plataformas online tanto para consumidores quanto para empresas", disse o chefe digital da UE, Andrus Ansip.

A indústria de tecnologia mostrou alívio com a relativamente leve abordagem regulatória.

entry Feb 13 2019, 08:52 PM
Instituições da UE pactuam reforma dos direitos autorais

* por AFP

Estrasburgo, França, 13 Fev 2019 (AFP) - Representantes das três instituições da União Europeia (Comissão, Conselho e Parlamento) chegaram a um acordo nesta quarta-feira (13) sobre a reforma dos direitos de autor.

"Chegamos a um acordo sobre direitos autorais", disse o vice-presidente da Comissão Europeia, Andrus Ansip, encarregado do dossiê.

"Os europeus finalmente terão regras modernas sobre direitos autorais adaptadas à era digital, com benefícios reais para todos: direitos garantidos para os usuários, remuneração justa para os criadores e regras claras para as plataformas", acrescentou Ansip.

O acordo deve ser ratificado pelo Conselho (que representa os 28 Estados-Membros) e pelos eurodeputados em sessão plenária, antes das eleições europeias de maio.

O objetivo desta reforma, muito discutida desde que foi apresentada em setembro de 2016 pelo executivo europeu, é modernizar os direitos autorais.

entry Feb 12 2019, 08:07 PM
Watson passará a funcionar em qualquer nuvem

* por Forbes
com Reuters

A IBM anunciou hoje (12) que alguns serviços de inteligência artificial Watson agora vão funcionar em provedores de nuvem de rivais, em uma tentativa de conquistar clientes que querem uma maior flexibilidade no armazenamento e na análise de dados.

O anúncio vem após os movimentos da gigante de tecnologia para posicionar seus serviços como compatíveis com praticamente qualquer forma de infraestrutura computacional que um cliente queira usar. Outros esforços incluem uma aquisição pendente da empresa de software de código aberto Red Hat por US$ 34 bilhões.

Com a mudança, as empresas poderão usar ferramentas de inteligência artificial do Watson, como o Watson Assistant, que pode ajudá-las a desenvolver serviços de conversação, como um agente de atendimento ao cliente virtual, em aplicativos móveis hospedados na Amazon.com, na Microsoft, bem como em servidores IBM.

“Com a maioria das grandes organizações armazenando dados em ambientes de nuvem híbrida, eles precisam da liberdade e escolha de aplicar inteligência artificial a seus dados onde quer que estejam armazenados”, disse Rob Thomas, gerente geral da IBM Data e AI, abrindo a “Think”, conferência em São Francisco para mostrar novas tecnologias.

A IBM contará com um pacote de software de código aberto conhecido como Kubernetes para fazer links para nuvens rivais.

Nos últimos anos, a IBM tem buscado fortalecer negócios de análise e de nuvem, de rápido crescimento, e se distanciar de produtos de hardware e ofertas tradicionais de software.

entry Feb 11 2019, 07:53 PM
Suíça e Reino Unido assinam acordo comercial para pós-Brexit

* por AFP

Berna, Suíça, 11 Fev 2019 (AFP) - A Suíça e o Reino Unido assinaram nesta segunda-feira, em Berna, um acordo que permitirá manter as relações econômicas e comerciais entre os dois países após o Brexit.

Eles já tinham assinado, nos últimos meses, acordos sobre transporte rodoviário, transporte aéreo, seguros e livre-circulação de pessoas.

O acordo comercial, assinado nesta segunda pelo ministro de Comércio Exterior Liam Fox e o ministro suíço da Economia, Guy Parmelin, foi ampliado a Liechtenstein, devido à união aduaneira existente entre este país e a Suíça.

O pacto entrará em vigor quando os acordos Suíça-UE deixarem de ser aplicáveis às relações entre Suíça e Reino Unido, indicaram autoridades em comunicado.

"Se a fase de transição prevista entre a UE e o Reino Unido entrar em vigor em 30 de março de 2019, os acordos bilaterais Suíça-UE continuarão sendo aplicáveis entre Suíça e Reino Unido", explicou.

Neste contexto, os acordos vão servir de base para as relações econômicas e comerciais entre a Suíça e o Reino Unido após a fase de transição.

Contudo, no caso de um Brexit sem acordo em 29 de março, "o acordo será aplicado de forma provisória a partir de 30 de março de 2019".

entry Feb 10 2019, 07:38 PM
Brexit duro ameaçaria cerca de 100 mil empregos na Alemanha, diz estudo

* por EFE

Berlim, 10 fev (EFE).- Um brexit duro e sem acordo com a UE colocaria em risco cerca de 100 mil postos de trabalho na Alemanha, segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto de Estudos Econômicos de Halle (leste da Alemanha) divulgada parcialmente neste domingo por veículos de imprensa locais.

"Os efeitos sobre o emprego seriam sentidos, sobretudo, em lugares onde a indústria automobilística tem grande peso", assegura o estudo.

Por isso, as regiões mais afetadas seriam Wolfsburg (norte da Alemanha, onde está a central da VW, e seus arredores, assim como Dingolfing-Landau, na Baviera, onde a BMW e seus provedores são os principais empregadores.

O setor do automóvel poderia perder até 15 mil postos de trabalho.

Também outras regiões onde os principais empregadores são empresas produtoras de alta tecnologia, como Siemens, e empresas médias orientadas à exportação podem ser gravemente afetadas, segundo o estudo.

Os pesquisadores consideram que as exportações alemãs ao Reino Unido, com um brexit sem acordo, se reduzirão em cerca de 25% com as coerentes repercussões para o faturamento das empresas e para os postos de trabalho.

entry Feb 9 2019, 08:06 PM
Mais de 40 empresas mudaram sua sede para Holanda em 2018 pelo Brexit

* por AFP

Haia, 9 Fev 2019 (AFP) - Ao todo, 42 empresas que tinham sua sede no Reino Unido se mudaram para Holanda em 2018, por causa das incertezas relacionadas com o Brexit - revelam números divulgados neste sábado (9) pelas autoridades holandesas.

"Em 2018, a rede Invest in Holland [Investir na Holanda] trouxe 42 empresas para a Holanda por causa do Brexit", anunciou a NFIA, agência holandesa de investimentos estrangeiros subordinada ao Ministério dos Assuntos Econômicos.

Juntas, estas empresas representam 1.923 postos de trabalho e pelo menos 291 milhões de euros em investimentos para a Holanda, indicou a NFIA em seus resultados anuais.

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) também deixará Londres para se instalar em Amsterdã.

Citado em um comunicado, o ministro holandês dos Assuntos Econômicos, Eric Wiebes, comemorou a mudança e destacou "a importância do bom clima comercial" na Holanda, "graças à incerteza internacional crescente com o Brexit".

"O Brexit iminente e as tensões sobre o comércio internacional oferecem oportunidades às empresas holandesas", declarou a ministra do Comércio Exterior e da Cooperação para o Desenvolvimento, Sigrid Kaag.

Entre as companhias que anunciaram, no ano passado, sua transferência para a Holanda, estão financeiras internacionais como MarketAxess e Azimo, assim como a seguradora marítima UK P&I.

O banco de investimento japonês Norinchukin e o grupo de mídia britânico TVT Media também anunciou a ampliação de seus escritórios na Holanda, em parte por causa do Brexit, relatou a NFIA.

Em 2019, várias empresas, entre elas o grupo Discovery e a agência Bloomberg, já anunciaram sua intenção de investir na Holanda, após o divórcio entre Londres e a União Europeia, segundo a NFIA.

Em janeiro, a agência holandesa declarou estar em contato com mais de 250 empresas estrangeiras que querem instalar suas operações na Holanda, após o Brexit, ainda previsto para se concretizar em 29 de março.

Trata-se, principalmente, de empresas britânicas, mas também de organizações americanas e asiáticas, "que estão repensando sua estrutura europeia atual por causa das incertezas do Brexit", disse a NFIA neste sábado.

Essas empresas trabalham, principalmente, no setor das finanças, de mídia e da saúde, indicou a agência.

453 Páginas V  1 2 3 > »   
DSTQQSS
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28