Bem-vindo, visitante ( Entrar | Registrar )

  Rating ---

entry Oct 26 2018, 09:14 PM
FMI aprova empréstimo de US$ 56 bilhões para Argentina

* por AFP

Washington, 26 Out 2018 (AFP) - A direção do Fundo Monetário Internacional (FMI) aprovou nesta sexta-feira (26) o pacote de ajuda de 56 bilhões de dólares para a Argentina com o objetivo de ajudar a estabilizar a economia daquele país.

O FMI anunciou que esta aprovação libera 5,7 bilhões para o governo imediatamente, elevando o montante desembolsado desde junho a cerca de 20,4 bilhões de dólares.

"A Direção Executiva do Fundo Monetário Internacional (FMI) concluiu no dia de hoje a primeira revisão do desempenho econômico da Argentina em virtude do Acordo Stand-By (SBA) de 36 meses que foi aprovado em 20 de junho de 2018", disse o organismo em um comunicado.

A Argentina atravessa uma crise econômica que provocou uma desvalorização da moeda de cerca de 50% neste ano, o que elevou a previsão de inflação acima de 40% no final de 2018, e reduziu as previsões de crescimento para uma retração de 2,6%.

"Apesar do entorno desafiador, o governo fortaleceu de forma proativa seus planos políticos", destacou em comunicado a diretora-ferente do FMI, Christine Lagarde, que alertou que muitos desafios continuam pendentes.

Para enfrentar a crise econômica e os problemas decorrentes de uma corrida cambial que afetou vários mercados emergentes, o governo de Mauricio Macri recorreu ao FMI em junho, um organismo com o qual a Argentina praticamente encerrou seu relacionamento desde 2006.

O país conseguiu um empréstimo de 50 bilhões de dólares do FMI em junho, dos quais já recebeu 15 bilhões.

Após uma nova evasão em agosto em agosto, o governo voltou ao Fundo para pedir uma extensão do plano de ajuda. O pacote de ajuda é calculado usando o sistema Direitos Especiais de Saque ou SDR, que inclui uma cesta de moedas.

Déficit zero
Em troca de apoio financeiro, o governo comprometeu-se com o FMI a reduzir o déficit fiscal primário a zero em 2019.

A diretora-gerente do FMI destacou que as autoridades argentinas se mantiveram firmemente comprometidas com os objetivos do acordo de proteger os vulneráveis, garantir que a dívida pública continue sendo sustentável, reduzir a inflação e fomentar o crescimento e a criação de empregos.

"Para alcançar esses objetivos, as autoridades redobraram seus esforços de reforma acelerando a redução do déficit fiscal para alcançar o balanço primário em 2019 e alcançar um superávit primário a partir de 2020", acrescentou.

Esta semana, a Câmara dos Deputados deu o primeiro passo para aprovar um orçamento de austeridade que envolve cortes significativos nos gastos públicos e que agora aguarda aprovação do Senado. A votação aconteceu em meio a manifestações de rechaço em Buenos Aires que levaram a violentos tumultos.

O FMI destacou que o pacote considera o impacto dos cortes para a população mais vulnerável.

"Proteger os mais vulneráveis na Argentina continua sendo um componente central", por isso o governo vai "aumentar o gasto em programas de assistência social caso as condições sociais piorem", disse um funcionário do organismo.

Macri enfrenta uma situação complicada, com 27% da população abaixo da linha da pobreza e com uma taxa de desemprego crescente, que atingiu 9,6% no segundo trimestre.

Apesar do pacote de ajuda, o FMI estimou em suas previsões que a situação não melhorará no curto prazo na Argentina: a agência estimou uma contração econômica de 1,6% em 2019.

Neste mês, o FMI nomeou o economista jamaicano Trevor Alleyne como representante na Argentina. O economista assumirá sua posição no final de novembro e terá que reabrir o escritório da instituição no país sul-americano, fechado desde 2012.

 
« Next Oldest · With or Without Money · Next Newest »
 
DSTQQSS
23
24
25
26
27
28
29
30
31




IPS Driver Error  

There appears to be an error with the database.
You can try to refresh the page by clicking here.

Error Returned

We apologise for any inconvenience