Bem-vindo, visitante ( Entrar | Registrar )

  Rating ---

entry Feb 11 2024, 07:18 PM
Oxford sob fogo por aumentar investimentos em combustíveis fósseis

* por Attracta Mooney | Londres | Financial Times

A Universidade de Oxford está sendo duramente criticada depois que seu fundo patrimonial de £6 bilhões (R$ 37, 5 bi) aumentou seus investimentos em combustíveis fósseis apenas alguns anos após fazer um compromisso histórico de desinvestimento.

Embora seus investimentos sejam pequenos, a exposição indireta do fundo aos combustíveis fósseis aumentou de 0,32% para 0,52% entre 2021 e 2022, de acordo com relatórios publicados. Cerca de £1 (R$ 6) a cada £200 (R$ 1.251) do fundo agora está investido em combustíveis fósseis.

A universidade afirmou em 2020 que abandonaria todos os investimentos diretos em combustíveis fósseis após pressão contínua de estudantes e acadêmicos. No entanto, isso não se aplica à exposição indireta mantida por meio de investimentos com gestores de ativos externos.

Zak Coleman, gerente de campanha do Invest for Change, uma campanha do Students Organising for Sustainability UK, acusou a universidade de usar "brechas" para continuar investindo em combustíveis fósseis. A queima de combustíveis fósseis é de longe o maior contribuinte para as mudanças climáticas.

"É extremamente preocupante ver a universidade explorando essas brechas em sua política já fraca para continuar investindo cerca de £31,2 milhões (R$ 195 mi) na indústria de combustíveis fósseis, que está trabalhando tão arduamente para sabotar a ação climática."

A Campanha de Justiça Climática de Oxford, que liderou o movimento pelo desinvestimento na universidade, disse: "Essa notícia é um exemplo chocante de greenwashing institucional e um tapa na cara dos estudantes, funcionários, acadêmicos e ex-alunos que trabalharam incansavelmente pelo desinvestimento em combustíveis fósseis."

O aumento da exposição aos combustíveis fósseis foi resultado de movimentos de mercado, à medida que os preços das ações de petróleo e gás subiram em meio à crise energética, bem como novos investimentos com gestores de ativos com participações em ações intensivas em carbono.

Antonia Coad, chefe de sustentabilidade e assuntos corporativos da Oxford University Endowment Management (OUem), que supervisiona o fundo patrimonial, disse que o fundo "implementou totalmente" os compromissos de desinvestimento da universidade.

Ela acrescentou que a exposição indireta do fundo "flutuará por uma variedade de razões em uma base anual", incluindo movimentos de mercado, como visto em 2021 e 2022.

O fundo patrimonial, que supervisiona o dinheiro da universidade, suas faculdades e outros, geralmente usa gestores de fundos para investir, o que significa que faz poucos investimentos diretos. A OUem também administra uma conta de capital de médio prazo para a universidade. Incluindo a conta de capital, a OUem afirmou que a exposição da universidade aos combustíveis fósseis agora é de 0,45%.

Os fundos patrimoniais educacionais têm sido alvo de intensa pressão para abandonar os combustíveis fósseis nos últimos anos, com quase três quartos das universidades do Reino Unido se comprometendo com um desinvestimento completo.

Nesta semana, um dos maiores fundos de pensão da Europa vendeu suas participações em grandes empresas de petróleo e gás, incluindo Shell e BP, devido a preocupações de que as empresas estivessem fazendo pouco progresso na transição para negócios mais verdes.

 
« Next Oldest · With or Without Money · Next Newest »
 
DSTQQSS
6
7
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30